TODO MATERIAL POSTADO EM MEU BLOG É DE CONTEÚDO PESQUISADO NA INTERNET OU DE AMIGOS QUE ME ENVIAM, AO QUAL SOU SEMPRE AGRADECIDO.
POUCAS VEZES CRIEI ALGO PARA COLOCAR NO BLOG.
O MEU SENTIMENTO É O DE UM GARIMPEIRO, QUE BUSCA DIAMANTES, E QUANDO ENCONTRA NÃO CONSEGUE GUARDAR PARA SI.

01/03/2017

OS OBJETIVOS DA FILA

A maioria das escolas ainda utilizam a fila para entrar e locomover-se dentro da escola. 
Ou mesmo em locais fechados sem perigo para as crianças.
Qual é o seu objetivo?
É baseada em algum pressuposto científico?
 Existe algum pensador ou educador que defenda uma tese explicando a importância da fila na construção e desenvolvimento da criança?
Para que então, fazer fila?
São perguntas sem respostas, porque fazemos sem saber o motivo. 
Fazemos porque quando chegamos, outros já estavam fazendo.
Fazemos porque não conhecemos outras formas, não conhecemos outras metodologias de comportamento. 
E nem fazemos as perguntas essenciais para a Educação.

Poderíamos perguntar:
Não ajuda na disciplina?
Então não pode haver disciplina sem fila?
Ou seria, CONTROLE. 
Fazemos fila para controlar, por ser mais fácil para manter a ordem.
Vemos professores e orientadores gritando e se descabelando para "manter a ordem", na fila, que disciplina é essa?

Encontrei muito pouco referência sobre FILA, fila é algo que a maioria utiliza sem saber para que!
As consequências da fila, sem nossa intenção  é manter a criança na  heteronomia, ela faz por obrigação, sem compreender o sentido ao qual está sendo obrigada.
A fila para locomover-se para outro lugar, dentro da escola não tem o menor sentido.
Não educa. 
Só constrange.

Na revista Nova Escola, encontrei essa matéria da professora Telma Vinha.

É correto usar a fila dentro da creche?



Em situações em que pode haver riscos, como em escadas e passeios externos, as filas são justificadas. 
Porém, no ambiente seguro da creche, elas devem ser evitadas, pois dificultam o sentimento de pertencimento ao espaço escolar. 
É preciso deixar as crianças livres para explorar o ambiente por conta própria, permitindo que circulem com autonomia. 
Deve-se ensiná-las a andar com tranquilidade e a respeitar o outro, isto é, não empurrar, olhar quem vem à frente e atrás e ajudar um colega que tropeçou e caiu, por exemplo. 
E esse aprendizado só ocorre por meio da vivência.

Telma Vinha é docente da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).

O assunto continua...

2 comentários:

  1. Legal. Eu, diariamente ao me deslocar com meus alunos para o pátio, peço que respeitem os colegas e cuidem quem vem ao lado para evitar acidentes.Ainda utilizo esse momento para pedir que saiam em duplas, trios, quartetos, explorando alguns conceitos matemáticos.

    ResponderExcluir
  2. Legal. Eu, diariamente ao me deslocar com meus alunos para o pátio, peço que respeitem os colegas e cuidem quem vem ao lado para evitar acidentes.Ainda utilizo esse momento para pedir que saiam em duplas, trios, quartetos, explorando alguns conceitos matemáticos.

    ResponderExcluir

SUA OPINIÃO É MUITO IMPORTANTE.

VÁRIOS CURSO SOBRE EDUCAÇÃO